Com a explosão da indústria das criptomoedas, o Bitcoin e muitas outras moedas e tokens digitais chamaram mais atenção do público geral do que nunca. Obviamente, a mineração, como uma das maneiras de adquirir essa moeda, também subiu de interesse. Quem é novo no mundo das criptomoedas deseja saber o que é a mineração, como é feita e se é lucrativa. Outro conjunto de perguntas pertinentes diz respeito à mineração na nuvem como uma ferramenta extremamente eficaz para atividades de mineração de criptomoedas.

Mineração de Bitcoins

Como minerar Bitcoins? O Bitcoin, além de ser a principal moeda digital, é também a mais antiga: existe desde 2009. No caso do Bitcoin (assim como acontece com outras criptomoedas), a mineração é um serviço de conservação de registos que se destina a preservar a blockchain, mantendo-a completa e em segurança, assim como inalterável. Os “mineiros” são aqueles que verificam, recolhem e adicionam transações recentemente transmitidas a blocos, que estão associadas a blocos já existente através de hashes criptográficos. A natureza vinculada desses blocos significa que, para alterar um deles, todos os blocos subsequentes também têm de ser alterados – um feito que, obviamente, é extremamente difícil de executar.

bitcoin mining

A desgraça e, ao mesmo tempo, a salvação dos “mineiros” é o nonce. O nonce é um número que os “mineiros” precisam de encontrar para gerar prova de trabalho dos seus blocos recentemente minerados. Esses blocos não são aceites na blockchain sem esta prova de trabalho. A prova de trabalho foi concebida de forma a que os nós da rede a consigam verificar com extrema facilidade, mas é muito difícil de gerar. Para encontrarem o nonce, os “mineiros” têm de tentar encontrar diferentes valores de nonce antes de localizarem o valor correto, à medida que é alcançada a meta de dificuldade. A meta de dificuldade é induzida artificialmente, para manter o ecossistema Bitcoin equilibrado e o valor da moeda valioso, devido à escassez.

A meta de dificuldade é reavaliada aproximadamente a cada duas semanas, com base no desempenho da rede de Bitcoins. O objetivo, neste caso, é permitir a introdução de novos blocos na blockchain a cada 10 minutos. Quanto mais poder de computação existir na rede, mais difícil será para os “mineiros” individuais recolher os seus Bitcoins.

Por cada bloco adicionado recentemente, os “mineiros” são recompensados com 12,5 Bitcoins recentemente cunhados – este número é cortado em metade sensivelmente a cada quatro anos pelo que não é definitivamente uma constante. Estes Bitcoins são distribuídos através de transações em coinbase. Cada Bitcoin existente foi obtido através de uma transação em coinbase.

A mineração de Bitcoins é lucrativa?

Agora que já sabe o que é, de uma forma geral, a mineração de Bitcoins e como funciona, a pergunta que desponta é: “a mineração de Bitcoins é lucrativa?”. Toda a mineração de criptomoedas é uma espécie de corrida ao armamento. Quem chega primeiro e fica com o equipamento mais poderoso é quem colhe os melhores frutos. Obviamente, no caso do Bitcoin, chegar primeiro deixou de ser uma opção. Se a mineração de Bitcoins é ou não lucrativa, isso depende de quanto se está disposto a investir nesse esforço. Uma maneira de determinar se a mineração de Bitcoins é algo em que vale a pena investir é utilizar uma calculadora de lucratividade. Neste sentido, deve familiarizar-se com um conjunto de variáveis usadas por estas calculadoras.

O custo do hardware e o custo da eletricidade são os fatores de lucratividade mais simples. Se tiver a intenção de minerar Bitcoins, terá de adquirir hardware apropriado. Fazer mineração usando o computador/portátil há anos que não é lucrativo. Ao procurar hardware de mineração de criptomoedas especializado, deve estar atento aos seguintes fatores: consumo de energia (quanto menos, melhor), hashrate, e obviamente: preço.

Hashrate

O que é a hashrate? A hashrate descreve a velocidade em que os problemas matemáticos associados à mineração de Bitcoins (hashes) são resolvidos. A rede Bitcoin apresenta uma hashrate própria, mas esta taxa também descreve o número destes problemas com o seu ASIC pode resolver, definindo essencialmente a sua eficiência. As hashrates são medidas em GH/s, TH/s e até PH/s (Petahash por segundo). Mais informações sobre hashrate

Como é medida a hashrate e quais são as suas unidades? A hashrate, como dissemos, é uma unidade medida em hashes por segundo ou [h/s] e estas são algumas das denominações comuns que usamos para nos referirmos a elas. Denominações da hashrate

1 kH/s é 1000 (mil) hashes por segundo.
1 MH/s é 1 000 000 (um milhão) hashes por segundo.
1 GH/s é 1 000 000 000 (mil milhões) hashes por segundo.
1 TH/s é 1 000 000 000 000 (um bilião) hashes por segundo.
1 PH/s é 1 000 000 000 000 000 (mil biliões) hashes por segundo.
1 EH/s is 1 000 000 000 000 000 000 (um trilião) hashes por segundo.

Conversões de taxa de hash comuns

1 MH/s = 1000 kH/s
1 GH/s = 1000 MH/s = 1 000 000 kH/s
1 TH/s = 1000 GH/s = 1 000 000 MH/s = 1 000 000 000 kH/s

e assim por diante

E quanto às outras criptomoedas?

No início, a BTC já era relativamente fácil de minerar. O “início” de outras moedas digitais está a acontecer agora mesmo. Quem pretender começar pelo início com estes tokens digitais, o momento é agora. Na verdade, descobrir qual o Altcoin mais lucrativo do ponto de vista do “mineiro” é um exercício bastante complexo, visto que existem centenas de Altcoins. O que minerar? Os altcoins como o MoneroLitecoinRipple parecem ser realmente atrativos a este respeito, mas se está a considerar seriamente trabalhar com estas moedas, é necessário que saiba que as plataformas de mineração Bitcoin não estão exatamente otimizadas para a mineração de outras moedas.

Ethereum mining

A mineração Ethereum é um mundo totalmente diferente, embora também recompense o poder GPU. Isso significa que, se desejar minerar Ethereum, vai precisar de adquirir uma placa gráfica potente. A placa-mãe também deve ser boa e deve ter, pelo menos, 4 GB de RAM. A boa notícia é que o seu equipamento de mineração Ethereum é, essencialmente, um computador. O processo de construção desse equipamento é igual ao processo de construção de um computador de gaming. A má notícia é que não vai poder usar o computador para mais nada a não ser para a mineração ETH.

A mineração individual também não é particularmente recompensadora no caso da ETH. Aderir a uma pool de mineração é a resposta a esta questão. As pools de mineração recompensam os “mineiros” pelo poder de mineração que tornam disponível, e suavizam a variação no que toca aos ganhos de ETH.

Aspetos técnicos

Escolher o software para o equipamento de mineração é outro desafio dos “mineiros”. E quem deseja estabelecer as operações usando o Windows vai achar especialmente difícil. Contudo, estão disponíveis algumas diretrizes a este respeito, que acompanham os “mineiros” ao longo deste processo de configuração do software passo a passo, e estes passos são muito fáceis de seguir. A mineração Ethereum é resistente a ASIC, o que significa que, a partir de considerações políticas, a rede destina-se a manter a mineração ASIC fora da sua equação. A mineração Ethereum – e alguma mineração de Altcoins – exige muito da memóra. A memória forma um obstáculo no processo que simplesmente não pode ser superado ao juntar mais poder de GPU à mistura, de modo que o ASICS simplesmente não faz muito sentido com esse tipo de mineração criptográfica.

Algumas criptomoedas podem ser mineradas com ASICS, assim como com computadores não adaptados à mineração, contudo, a lucratividade é questionável em todo o cenário dos Altcoins. As moedas digitais que usam Scrypt como algoritmo de hashing pertencem todas a esta categoria. O Litecoin é, neste momento, o Altcoin mais interessante. Os blocos de Litecoin recentemente minerados são permitidos na blockchain a cada 2,5 minutos e, atualmente, a recompensa por bloco é de 50 LTC. Serão emitidos cerca de 82 milhões de LTC, e, atualmente, os “mineiros” podem gerar uma pequena receita usando equipamento de mineração ao nível do consumidor. É necessário notar que devem ser usadas apenas placas de vídeo AMD Radeon, já que a mineração nVidia não é lucrativa.

Há uma alternativa

A mineração baseada na nuvem é uma hipótese para quem não quer perder tempo com os detalhes técnicos da mineração BTC. A mineração na nuvem consiste em alugar o poder computacional de uma empresa e depois usar esse poder para minerar criptomoedas. Neste mundo existem alguns burlões, mas é uma alternativa verdadeiramente atrativa para a mineração digital “tradicional”.

Se está a pensar torna-se um “mineiro” de Bitcoins, pode interessar-lhe saber quais são os melhores serviços e provedores de mineração na nuvem de Bitcoins disponíveis. Consulte as nossas avaliações de mineração na nuvem de confiança e comparações exatas de mineração na nuvem.